Por que o sucesso não é a chave para uma autoestima saudável

Heidi Muniz | Autoestima

jul 12
autoestima saudavel

Vamos admitir: falhar acaba com a motivação e a confiança, não é mesmo? Dependendo do caso, você pode até sentir medo de tentar na próxima vez, já que não deu certo antes.

É aquela história de ser confiante quando for bem-sucedido e inseguro quando errar. Mas uma pessoa com autoestima saudável se mantem confiante até mesmo quando as coisas dão errado. Como isso é possível? Confira a seguir.

Como lidar com o gosto amargo de falhar?

Você não precisa gostar do que aconteceu. Mas remoer os seus erros não é a maneira mais positiva de seguir em frente. Depois de saber dos resultados ruins, a melhor coisa que você pode fazer é pensar em soluções. Se você já sabe disso e, ainda assim, não consegue parar de se criticar e de se preocupar, tente trabalhar estas 2 ideias.

1. Se a culpa é sua, então é possível consertar

Quando a culpa é sua e os resultados podem mudar no futuro, então a situação depende da sua escolha para dar certo. Isso significa que depois de errar, você tem a oportunidade de fazer diferente, se esta for a sua decisão. E por que isto deveria te animar? Porque nem todas as vezes você vai estar no controle. E nem sempre haverá tempo para fazer diferente.

Existem circunstâncias definitivas como a morte ou que dependem de outras pessoas para funcionar, como relacionamentos amorosos. Então se você tiver a chance de lidar com um problema que só depende de você,  aproveite e conserte o que houve de errado.

2. Existem diferentes caminhos para atender uma mesma necessidade

Toda pessoa tem necessidades, isto é, desejos ou estados que você precisa atingir para se sentir satisfeito e realizado. (Dica: aprenda sobre as necessidades humanas neste artigo). Veja alguns exemplos de necessidades:

  • comer, descansar, fazer exercícios
  • obter educação
  • seguir um propósito de vida como ajudar pessoas
  • ter independência financeira e segurança
  • construir uma autoestima saudável

Agora voltando a questão dos erros: se o caminho que você escolheu para atender uma necessidade envolve fatores que estão além do seu alcance e que não vão mudar, não há razão para continuar se desgastando. Isso não é desistir, mas sim, contornar o problema. Afinal, com um pouco de criatividade e disposição, você pode encontrar diferentes caminhos para atender uma mesma necessidade.

Visualizando isso no dia a dia:

Suponha que você seja introvertido e queira ser financeiramente independente, ou seja, ter o seu próprio dinheiro. Para isso, você começa a trabalhar. No entanto, o ambiente de trabalho é altamente competitivo e os extrovertidos populares são vistos como pessoas competentes. Num lugar como este, todo dia é um sacrifício para um introvertido. E se sentir um fantasma não é exagero.

Mas o fato é que a empresa tem este tipo de filosofia e não vai mudar por você. Você poderia tentar mudar? Sim. Mas por acaso, adianta fingir que você é extrovertido, por quanto tempo? Existem outros lugares, mais tranquilos para você trabalhar e que oferecem uma renda suficiente para a sua independência? Sim. Então, que tal começar a procurá-los?

Descubra a base de uma autoestima saudável

Ao vencer um desafio, você prova para si mesmo que é capaz. E talvez crie confiança para realizar objetivos ainda maiores. Porém, ninguém vive 100% do tempo acertando. Se os resultados não forem como esperava, como é que você vai acreditar na sua capacidade? Diante de resultados ruins, você perde a sua confiança?

É por isso que o sucesso não é a chave de uma autoestima saudável. Você não vai vencer todas as vezes e é possível que você demore mais tempo do que gostaria para chegar onde quer. Se for confiante apenas quando as coisas funcionarem, você pode passar boa parte da sua vida inseguro e insatisfeito consigo mesmo.

O sucesso é prazeroso e aumenta a motivação? Sim, é claro. Mas ele não deve ser a razão para você se sentir confiante. O seu potencial não diminui quando você falha e também não surge quando você vence. O tempo todo, os seus talentos e as soluções estão com você. Portanto, mesmo quando as coisas dão errado, você continua tendo competência suficiente para persistir em seu sonho.

Então o que deveria ser a base da sua autoestima? Algo que você continua a acreditar independentemente dos resultados: seus valores pessoais.

Valores pessoais são princípios que você acha que uma boa pessoa deveria seguir. Confira alguns exemplos:

  • humildade
  • coragem
  • independência
  • liberdade
  • honestidade
  • respeito por si e pelo próximo
  • justiça
  • igualdade

Você pode pensar que isso é papo furado. Mas se valores pessoais não fossem importantes, você não ficaria emocionado com filmes de super-heróis. Você não admiraria um grande líder, que lutou pelos direitos civis de milhares de pessoas, como Martin Luther King. Você não pensaria que o bem deveria vencer o mal.

Entenda como os valores pessoais afetam a sua autoconfiança

Outro reflexo dos seus princípios é que quem não tem integridade ou caráter, costuma se sentir um lixo humano. Ou seja, quando você não faz o que acredita que deveria fazer, é criado um vazio na sua autoestima. Ao trair os seus valores pessoais, a sua opinião sobre si mesmo será implacável.

E não estamos falando apenas de coisas grandes como não roubar, não matar, ser caridoso. A expressão dos seus princípios ocorre em cada detalhe da sua vida. Os valores pessoais incluem não mentir para quem você ama e até dizer não quando esta for a sua resposta mais sincera.

Por outro lado, ser fiel aos seus princípios permite que você confie em suas próprias decisões, ainda que os resultados sejam ruins. Agora sim, estamos falando de uma base sólida para construir a sua autoestima. Afinal, não importa quantas vezes você falhe, se as suas ações estiverem alinhadas com o que você acredita que é certo, então a sua consciência pode ficar tranquila. Você poderá pensar: “Eu falhei, mas estou confiante com a decisão que tomei, sei que foi a coisa certa a se fazer.” Ou ainda: “Não deu certo agora, mas vou continuar tentando, porque tal princípio é importante para mim, porque é nisso que eu acredito”.

Curiosidade: você acabou de aprender um dos 6 pilares da autoestima: a integridade.

Agora é com você!

Se você acha que este texto pode ajudar outras pessoas a construir uma autoestima saudável, ajude a compartilhá-lo no Facebook ou no WhatsApp. Ah e sinta-se à vontade para comentar o que achou deste post e tirar suas dúvidas.

Um abraço!

PS: Agradecimentos especiais ao meu amigo Claudio, pelas ideias importantes sobre autoestima, sobre as quais eu não pensaria, se não fossem os seus questionamentos. Valeu, Claudio!

Image: Chris Barbalis via Unsplash.
Follow

Sobre a autora

Fundadora do Mudança em Foco. Heidi Muniz é coach de vida certificada pela Sociedade Latino Americana de Coaching (SLAC). Com o coaching, ela ajuda pessoas a fortalecer a autoestima, construir relacionamentos saudáveis, ser mais produtivo no trabalho e a se comunicar melhor. Para conhecer mais sobre os tipos de coaching oferecidos pela Heidi, acesse a página de Serviços ou a página Sobre.